Notícias | - 11:11 am


“Escreva cartas de despedida para minha mãe.”2 min read

"Escreva cartas de despedida para minha mãe."

Eu cresci praticamente na igreja, comecei a frequentar aos 5 anos de idade, porém com o passar do tempo acabei me desviando. Aos 13 anos comecei a andar com pessoas mais velhas na escola e acabei sendo influenciada para fazer o que era errado. Comecei então a mudar o meu comportamento e a maneira de falar, tanto em casa, quanto na escola.

"Escreva cartas de despedida para minha mãe."Na igreja sempre me mantive uma jovem educada, uma jovem que não existia, eu tinha várias personalidades, uma para cada lugar que ia.

Dos 13 aos 15 anos vivi com muita revolta dentro de mim. Tinha mágoa, rancor e sofria com um grande vazio interior.

Para conseguir dormir, por muitas vezes me agredia para sentir dor, chorar, e só assim adormecia.

Tentei o suicídio por muitas vezes, ouvia uma voz que me dizia para me jogar da janela do meu quarto, sufocar-me com a almofada e até me cortar.

Porém, eu nunca conseguia ir até ao fim, pois pensava na minha mãe e desistia.

Com essa revolta dentro de mim, eu me tornei muito agressiva, querendo bater e fazer bullying com todo mundo, mesmo sofrendo por bullying, eu queria fazer também e ver as pessoas se sentindo mal. Tomava decisões erradas, porque queria ser a legal da minha roda de amigos, porém não eram amigos de verdade.

Eu era triste, vazia e depressiva, escrevia cartas de despedida para deixar à minha mãe. Para que se eu conseguisse me matar, pudesse deixar algo para me despedir.

Depois de ter sofrido tanto, decidi mudar, foi quando decidi fazer parte do YPG e a pensar de outra maneira. Comecei a buscar mais, pedi perdão a quem magoei e principalmente a Deus. Batizei-me nas águas e recebi a certeza que o Senhor estava comigo quando recebi o Espírito Santo.

Tudo dentro de mim mudou, hoje sou feliz, não preciso dos outros para me sentir bem, não tenho mágoa, pensamentos de suicídio, nem sofro mais com depressão. Hoje eu sou uma nova Elisabeth.

Elisabeth Almeida 

Brockton, MA 


Igreja Universal
  • Redação  


reportar erro